Terreiro do Egito
26 novembro

Terreiro do Egito

O antigo terreiro do Egito funcionou próximo ao porto do Itaqui, desde o séc. XIX até por volta de 1970 quando faleceu Mãe Pia, sua última chefe. No Egito grande número de pais e de mães de santo do Maranhão receberam remédios e foram iniciados. As festas eram realizadas no fim do ano com a chegada do navio encantado de Dom João.

Cajueiro é um bairro rural da mesma região e próximo à Vila Maranhão, onde residem tradicionalmente pescadores e agricultores que estão lá desde o tempo de seus ancestrais. Os moradores do Cajueiro estão sendo ameaçados de expulsão por empresas indústrias que cobiçam esta área próxima ao Porto do Itaqui.

Por intermédio de professores e pesquisadores da UFMA e outras instituições, moradores do Cajueiro se associaram a pais e filhos de santo descendentes de religiosos que foram preparados no terreiro do Egito.

Moradores do Cajueiro pedem o seu Registro como território tradicional de descendentes de quilombolas. Pais e filhos de santo do tambor de mina do Maranhão pleiteiam a transformação do território sagrado do morro do Egito em espaço sagrado das tradições religiosas afro-maranhenses.

Depois de várias reuniões preparatórias os dois grupos se reuniram no domingo 22/11/2015 na sede da União dos Moradores do Cajueiro e o povo de santo se dirigiu ao antigo Terreiro do Egito. As fotos apresentadas a seguir foram tiradas por Christiane Mota, prof. do IFMA e Pablo Monteiro, aluno da UEMA.